As lajes nervuradas são estruturas horizontais planas apoiadas em vigas e pilares que dividem os pavimentos de um empreendimento. Atualmente é uma das grandes tendências da arquitetura, onde se valoriza a estrutura básica da construção civil.
Esta tendência foi trazida de Nova York acompanhando o design industrial e sua principal característica são os elementos da construção, que antes ficavam escondidos, agora passam a ficar aparentes e serem protagonistas da decoração. Com isso a laje nervurada é um dos principais itens contemporâneos de design de interiores, pois, além de trazer mais personalidade ao ambiente, traz também maior conforto térmico e acústico.

 

 

No site da @atex_brasil, empresa especializada em Laje nervurada, encontramos alguns dos motivos que levaram a CASAMIRADOR a escolher essa laje para sua obra.

 

 

Os benefícios são:

  • Redução de concreto e aço: O uso da laje nervurada elimina o concreto que não tem função estrutural. Assim, além de deixar a estrutura mais leve, a técnica reduz o uso de concreto e aço em até 40%.
  • Maior produtividade e agilidade da obra: Um projeto estrutural que executa lajes nervuradas tem leitura e montagem facilitadas. A colocação e retirada das fôrmas é rápida, prática, e a armadura é mais simples. Ao final, a obra gera menos resíduos e é mais segura para os operários.
  • Vãos mais amplos: A laje nervurada viabiliza a execução de vãos de maior envergadura sem que sejam muito onerosos para a estrutura. A laje mais leve permite que os pilares sejam afastados, e por ser de alta capacidade de carga, não sofrem deformações e flechas.
  • Redução das fundações: O peso total da edificação em Laje nervurada é em média mais de 15% mais leve que as construções com laje maciça.
  • Inovação em design de ambiente: A arquitetura e o design vêm explorando esse tipo de laje para criar ambientes inovadores e aconchegantes, seja para empreendimentos comerciais ou residenciais. A exposição dos elementos da edificação ganhou aceitação popular, se tornando referência.”

 

Lei mais no Blog da Atex.