“Eu acho que a gente começa a desenhar, faz uma linha pra cá outra linha pra lá e, de repente, surge uma coisa que a gente não tinha imaginado o que ia ser. Isso é também atraente. A criação é mesmo misteriosa. A gente não sabe porque faz uma coisa assim…”

Athos Bulcão

 

 

As palavras do habilidoso artista, considerado um dos maiores do país a integrar arte e arquitetura,representam com singularidade o CASAMIRADOR.

 

 

Aconteceu no Centro Cultural Banco do Brasil Belo Horizonte, na Praça da Liberdade, a exposição que celebrou o seu centenário e apresentou mais de 330 obras, incluindo trabalhos inéditos e peças de artistas contemporâneos influenciados por este grande mestre.

 

 

A trajetória artística de Bulcão é consagrada ao público em geral. Não somente ao que frequenta museus e galerias, mas ao que entra acidentalmente em contato com sua obra, quando passa para ir ao trabalho, à escola ou simplesmente passeia pela cidade, sua obra inscrita em alguns dos principais prédios modernos brasileiros realça as veias urbanas trazendo a tona pontos de cor e vida no dia a dia das pessoas.

 

 

Em seus azulejos destacam-se o grafismo e a modulação criadas com base nas formas geométricas, transformando assim o simples no majestoso, o comum em algo inusitado e único.